Tabela Cosmos

Tabela cosmos (ideologias relacionadas)

A favor da usina de Belo Monte

Contra a usina de Belo Monte

 Crescimento econômico do país

 Enorme impacto ambiental que causará uma verdadeira devastação na biodiversidade local

Lucro para os participantes (concessionárias de energia e até o governo)

Possíveis mudanças climáticas acarretadas devido à construção da usina, às áreas alagadas e ao desvio do curso do rio

Suprimento energético para consumo elevado, evitando assim a possibilidade de futuros apagões

Falta de ética nas decisões políticas e jurídicas que envolvem a construção da usina

Desenvolvimento da região e melhoria da qualidade de vida. O que gera a possibilidade de um futuro promissor aos moradores da região

Descaso com a opinião da população local e geral

Criação de empregos na região

Deslocamento de comunidades

Maior usina brasileira e terceira maior do mundo

Diminuição da diversidade cultural local e do país

Maior obra do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal)

Fortes impactos na diversidade cultural da região e principalmente do país

Fonte de energia limpa

Ocupação de áreas indígenas

Aproveitar o potencial hidrelétrico do país

Falta de estudos sobre os impactos ambientais e sociais

Preço competitivo da energia

Baixos salários e condições degradantes dos trabalhadores

Falta de segurança nos canteiros de obra

Falte de investimento na região

Necessidade de investimento em fontes de energia renováveis

Através da identificação da controvérsia, da análise das declarações sobre a polêmica da construção da usina de Belo Monte, tornou-se possível estabelecer a tabela cosmos e elencar também as ideologias escondidas nas declarações e no posicionamento que a controvérsia implica.

Entre os posicionamentos favoráveis à construção da usina é perceptível um posicionamento tradicionalista, enviesado e econômico. O discurso e argumentos dos poucos grupos favoráveis à construção da hidrelétrica se guiam por razões políticas e econômicas. Visam o desenvolvimento econômico próprio e do país à qualquer custo.  Fazem parte deste grupo, principalmente, governo, concessionárias de energia e empresários.

No lado oposto, os que se declaram contrários à construção de Belo Monte, encontramos uma visão inovadora, preocupada com bens menos tangíveis e mais difíceis de recuperar, que poderão ser totalmente perdidos devido à construção da usina. São eles: diversidade cultural, social e ambiental, mudanças climáticas e qualidade de vida. Fazem parte deste grupo, indivíduos preocupados com os impactos ambientais gerados pela construção da hidrelétrica, ONGs e outras organizações preocupadas com questões ambientais e sociais e especialistas.

Apesar de existirem opiniões contrárias e favoráveis, notamos que as contrárias acabam sendo maioria e apresentam maiores justificativas. No entanto, o poder de fato, é maior naqueles que são favoráveis à construção. De qualquer forma, apesar de construção já ter começado, esta controvérsia está longe de acabar e os argumentos contra e a favor só tendem a aumentar.

 

Por Giulia Vidale Ribeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: